LOADING

Type to search

Fundacion Dom Cabral, Brazil

Share
Colombia

A Colômbia se tornou este ano a segunda economia mais competitiva da América Latina. Após um excepcional desempenho no ano de 2005, o país conquistou sete posições no ranking de competitividade. Em 2005, a Colômbia obteve crescimento do PIB de 4,5% e queda da taxa de desemprego de 1,9 pontos percentuais. 

A Colômbia já é destino de muitos investimentos internacionais. Em 2005, o Investimento Direto Estrangeiro foi de US$10,2 bilhões, 8,4% do PIB, bem acima dos US$3 bilhões de 2004. Várias razões são responsáveis por esse fato. O país é a terceira maior economia doméstica da América do Sul. O nível de consumo é alto. A segurança aumentou no último governo, como mostram as quedas de 43% no número de homicídios e de 56% no número de seqüestros em relação ao período 1998-2002. O governo deve ratificar um acordo de livre comércio com os EUA. Além disso, diversos executivos percebem estabilidade institucional no país, tornando-o um destino de investimentos com menor risco que outros países da América Latina (Valor Econômico 25/05/2006). 

Apesar dos avanços em sua competitividade, muito ainda está por ser feito. Segundo o Latin Business Chronicle, a Colômbia é, ainda, a 9ª economia latino-americana na análise do ambiente para se fazerem negócios – os primeiro lugares são ocupados pelo Chile, México e Costa Rica, respectivamente. É apenas a 7ª economia latino-americana – a 50ª no ranking mundial, apesar do ganho de 7 posições em relação a 2004 – na análise das facilidades de acesso ao capital, segundo análise do ambiente de negócios, elaborada pelo Milken Institute . Podemos concluir que a continuidade do crescimento do país depende de uma melhoria ainda maior de suas condições internas para o investimento produtivo, o desenvolvimento tecnológico e o consumo.
To read this post, you must purchase a Latin Trade Business Intelligence Subscription.
Scroll to top of page